Segunda-feira
22 de Outubro de 2018 - 

Controle de Processos

Insira seu usuário e senha para acesso ao software jurídico

Notícias

Cotação Monetária

Moeda Compra Venda
DOLAR 3,71 3,71
EURO 4,27 4,27
GUARANI 0,00 0,00
IENE 0,03 0,03
LIBRA ES ... 4,84 4,84
PESO (ARG) 0,10 0,10

Cotação da Bolsa de Valores

Bovespa 0,92% . . . .
Dow Jone ... % . . . .

Previsão do tempo

Hoje - Belo Horizonte,...

Máx
28ºC
Min
17ºC
Parcialmente Nublado

Terça-feira - Belo Ho...

Máx
31ºC
Min
17ºC
Parcialmente Nublado

Newsletter

TAC garante preservação de Mata Atlântica em Juiz de Fora

A Promotoria de Justiça de Defesa do Meio Ambiente de Juiz de Fora firmou Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) com incorporadora, para garantir a preservação da Mata Atlântica em imóvel onde será construído conjunto residencial no município. De acordo com a promotoria de Juiz de Fora, o inquérito foi instaurado a partir da apresentação de documento pela Inter Construtora, que mostrava a intenção de construção de 200 apartamentos em oito torres, inseridos no Programa “Minha Casa Minha Vida”. O documento apontou que o terreno de 9.028 metros, além de conter importantes fragmentos de Mata Atlântica, está localizado em área subjacente à Reserva Biológica (ReBio) Santa Cândida. A investigação do Ministério Público constatou que houve desmatamento na região, antes e depois da propriedade ser adquirida pela Inter Construtora e Incorporadora, e que mesmo após o desmatamento, as características de floresta estacional semicidual em estágio médio e avançado de regeneração, não foram perdidas. A vistoria também confirmou que a área apresenta somente 19% de vegetação, contrariando as leis ambientais. A preservação vegetal nativa em estágio avançado de regeneração deve atingir 50% da área, e no caso de regeneração média, 30%. Além disso, a lei proíbe a supressão de vegetação em estágio avançado e médio de regeneração do Bioma Mata Atlântica quando a mesma abrigar espécie da flora ameaçada de extinção. Foram encontrados pés de palmito juçara a menos de 10 metros de distância da área suprimida. O responsável pelo inquérito, o promotor Alex Santiago, explicou que o TAC será acompanhado sistematicamente. “Não basta apenas assinar o TAC, tem que cumprir. Neste caso, a empresa tem um diferencial, porque teve boa vontade em apresentar as informações e, inclusive, readequou o projeto para duas torres”. Santiago ainda enfatizou que a defesa da Mata Atlântica é prioridade na região. “Já fiz várias reuniões com a polícia para que fosse dada prioridade para a preservação de mata da atlântica. Estamos em uma região com a presença deste bioma, precisamos da sua preservação”, enfatizou. O TAC estabelece que a empresa deve: Apresentar, em 120 dias, plano de recuperação do solo e recomposição da vegetação de toda a propriedade e executá-lo após aprovação; Garantir a preservação de vegetação nativa em estágio avançado de regeneração em no mínimo 50% da área do imóvel; Reparar os danos ambientais já causados à vegetação de Mata Atlântica mediante indenização de R$ 84.208,48, a ser empregada em finalidades ambientais na comarca de Juiz de Fora; Não realizar qualquer intervenção na propriedade que represente supressão de vegetação sem autorização prévia do órgão ambiental estadual; Informar ao órgão ambiental a existência de espécie da flora ameaçada de extinção e apresentar, em eventual pedido, levantamento florístico de toda a propriedade; Reformular o projeto, reduzindo o empreendimento de oito para duas torres; Doar 2000 mudas de espécies do bioma mata atlântica para projetos de reflorestamento na região

Contate-nos

HLDS Advocacia

Rua AD -  88 -  Próximo ao Metrô
-  Água Branca
 -  Contagem / MG
-  CEP: 32370-190
+55 (31) 2567-0787+55 (31) 994954790
© 2018 Todos os direitos reservados - Certificado e desenvolvido pelo PROMAD - Programa Nacional de Modernização da Advocacia